Da Capacitação Profissional do Biomédico Esteta

Os biomédicos estetas são os profissionais mais bem qualificados para a realização dos procedimentos mencionados nas resoluções do CFBM, pois em seus 4 anos de formação na graduação, enquanto aluno é possível estudar disciplinas voltadas à estética, como também realizar estágios supervisionados em estabelecimentos para o seu início da vivência clínica.

Sua formação acadêmica na pós-graduação é específica e focada, que em média possui mais de 500 horas de carga horária total de especialização Lato-Sensu, sendo que tais especialistas assumiram com maestria os procedimentos injetáveis de fins estéticos realizando redução de gordura localizada (carboxterapia e intradermoterapia), minimizando a lipodistrofia ginóide – popular celulite, suavisando os movimentos dos músculos faciais com injeções de toxina botulínica, preenchendo sulcos da pele com ácido hialurônico, entre outros.

São as chamadas injeções da beleza, práticas e ciência reconhecidas pelo Conselho Federal de Biomedicina e Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética-SBBME.

Dos quesitos de habilitação em Biomedicina Estética pelo Biomédico

Para a prática da biomedicina estética, além de toda a grade curricular básica, deverá o profissional preencher critérios de especialização previstos na Resolução CFBM 200/2011, por critérios materiais e formais.

Tais requisitos vêm dispostos nos artigos 3º e 5º a seguir reproduzidos:

Art. 3º – Os requisitos necessários para a habilitação provisória em Biomedicina Estética são:

  1. a) Eletroterapia; sonoforese (Ultraom Estético); Iontoforese; Radiofreqüência Estética;
  2. b) Laserterapia; Luz Intensa Pulsada e LED;
  3. c) Peelings químicos e Mecânicos;
  4. d) Cosmetologia;
  5. e) Carboxiterapia;
  6. f) Intradermoterapia;
  7. g) Certificados de participações em Congressos e/ou eventos na área de Saúde Estética;
  8. h) Declaração de matricula com a devida carga curricular em curso de Pós-Graduação em Estética;
  9. i) Comprovante de experiência na área de saúde estética, com o mínimo de um (01) ano de atuação como: Contrato Social da Empresa em exerce e/ou exerceu esta atividade; Carteira de Trabalho devidamente assinada; Contrato de Prestação de Serviços devidamente registrado em Cartório e/ou com firma reconhecida;

Art. 5º – Quanto aos requisitos necessários para a habilitação definitiva em Biomedicina Estética, o profissional Biomédico deverá atender um (01) ou dois (02) dos quesitos exigidos no art. 3º retro mencionado e, apresentar junto com o seu requerimento:

  1. a) Certificado e/ou Diploma com título de especialista em Estética, obtido ou reconhecido pela Associação Brasileira de Biomedicina – ABBM e/ou Certificado de pós-graduação (Lato ou Stricto Sensu), em conformidade com LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e demais determinações e normas estabelecido pelo CAPES – MEC.

Ora, fica claro que o profissional biomédico deve ser preparado em sua graduação, e especializado em pós graduação Lato Sensu reconhecido pelo MEC para assumir tal tarefa visto que trabalhara de modo a intervir no organismo sem que haja necessidade de procedimentos mais arriscados como por exemplo os cirúrgicos e os invasivos. O biomédico esteta limitar-se-á a técnicas injetáveis, escarificantes e perfuro-cortantes.

Grade Curricular das Disciplinas da Graduação de Biomedicina basilares à Estética

Para tanto o biomédico deve estudar exaustivamente em sua graduação disciplinas que ofereçam aporte para o exercício profissional em estética. São elas:

  • Anatomia Humana: estuda os órgãos e suas correlações; no caso da utilização da eletroterapia, oferece condições para adequado posicionamento dos eletrodos;
  • Citologia e Histologia: a citologia estuda as células que compõe o corpo, e a histologia os tecidos. Tais disciplinas capacitam o biomédico a conhecer formação das células da pele e suas funções como órgão, capacitando a realização do uso de cosméticos e peelings;
  • Fisiologia Humana: a fisiologia mostra o funcionamento dos órgãos, e todas as relações que podem modificar suas estruturas;
  • Microbiologia Humana: estuda a forma pela qual bactérias se comportam nos tecidos humanos bem como as formas de se evitar contaminações;
  • Virologia: estuda a forma pela qual vírus se comportam nos tecidos humanos bem como as formas de se evitar contaminações;
  • Parasitologia: estuda a forma pela qual os parasitas se comportam nos tecidos humanos bem como as formas de se evitar contaminações;
  • Patologia Geral: estuda o processo das doenças e como se instalam e se desenvolvem no organismo. Para a prática estética é extremamente desejável visto que por não ser o biomédico competente para tratamento de doenças ou patologias, poderá identificar tais anomalias e consequentemente encaminhar o paciente ao profissional competente, o Médico Dermatologista;
  • Patologia humana: estuda as doenças que acometem cada sistema de forma específica;
  • Farmacologia: estuda a ação de substâncias farmacologicamente ativas no organismo humano. Conhecimentos necessários para a aplicação de peelings e cosméticos em geral. Também importante na veiculação de substâncias como as toxinas e preenchedores;
  • Epidemiologia e Estatística: estuda a incidência e distribuição de doenças em diferentes regiões do Brasil e do mundo. Essa disciplina é importante para que o profissional possa através da avaliação corporal possa estar atento no desempenho da Assistência a saúde;
  • Imaginologia: é o estudo da anatomia por imagem, oferece ao profissional uma noção de espaço e profundidade do corpo humano;
  • Imunologia: estuda processos de defesa do corpo contra agentes externos. Aprofunda-se nos processos alérgicos e doenças autoimunes;
  • Imunologia clínica: estuda as doenças do sistema imunológico e todos os processos de diagnostico laboratorial;
  • Química geral e orgânica: é a base para compreensão da ação dos cosméticos, pois oferece conhecimentos sobre substancias químicas;
  • Bioquímica Metabólica: estuda os processos orgânicos de absorção, distribuição, degradação e armazenamento de substâncias, inclusive substâncias oriundas da dieta;
  • Bioquímica clínica: exames laboratoriais;
  • Políticas Públicas de Saúde: a disciplina de saúde pública oferece uma visão humanizada ao profissional sobre as condições gerais de saúde da população e discute os parâmetros da Organização Mundial de Saúde que afirma ser saúde o Bem Estar Físico, Social e Psicológico.

O aluno de biomedicina ainda possui na graduação, a inserção da disciplina de Biomedicina Estética, que reune os conhecimentos acima citados na pratica clinica.

Grade Curricular Referencial da Pós-Graduação Biomedicina Estética

Para os alunos que se formaram antes da Resolução do Conselho, logo não tiveram a possibilidade de frequentar a disciplina de Biomedicina Estética, é condicionado pelo CFBM que os mesmos façam Pós Graduação Lato Sensu reconhecida pelo MEC para pleitear a habilitação. Na grade curricular do curso de pós graduação Lato Sensu, todas as disciplinas que são ofertadas na graduação passam a ser discutidas não de forma geral, mas sim específica para a atuação do futuro Biomédico Esteta.

PÓS-GRADUAÇÃO BIOMEDICINA ESTÉTICA

MÓDULOS DAS DISCIPLINAS

Aula Inaugural – Exercício Legal da Biomedicina Estética
  Disfunções estéticas, semiologia, avaliação, consulta, acompanhamentos estéticos em Biomedicina Estética
  Anatomofisiologia facial e alterações dermatofisiológicas na Biomedicina Estética
  Eletroterapia aplicada em Biomedicina Estética  Facial e Corporal
  Farmacologia: noções fundamentais de injeção em Biomedicina Estética
  Farmacologia para Intradermoterapia, Intramuscular e Prescrição em Biomedicina Estética
  Procedimentos Injetáveis I – Carboxiterapia corporal e facial, Microagulhamento, PEIM (Procedimentos Estéticos Injetáveis para Microvasos) e Hidrolipoclasia na Biomedicina Estética
  Nutrição Estética e envelhecimento facial e corporal em Biomedicina Estética
  Cosmetologia na Biomedicina Estética
  Peelings mecânicos, químicos e enzimáticos (superficiais e médios) em Biomedicina Estética
  Laserterapia em Biomedicina Estética
  Procedimentos Injetáveis II – Toxina Botulínica,  preenchimento facial e fios de sustentação em Biomedicina Estética
  Associação de Protocolos Práticos Supervisionados
  Metodologia Científica, Bioética e Biossegurança na Biomedicina Estética
  Seminários Clínicos

Da titulação de um Biomédico Esteta

Vê-se nitidamente que não se concede o título de biomédico esteta a qualquer profissional.

Assim como na medicina e em diversas áreas do conhecimento humano, a formação acadêmica e prática é essencial para o exercício da atividade.

Frise-se que toda a formação do especialista biomédico em estética é voltada aos procedimentos e uso produtos listados nas regulamentações baixadas pelo CFBM.

Esta objetividade e foco trazem por consequência o pleno e total domínio sobre a prática profissional, sendo mesmo repulsivas quaisquer alegações de despreparo técnico por terceiros.

Da falta de preparo dos Demartologistas em Estética

E se de um lado os biomédicos estetas atuam com tamanho foco, o mesmo não se pode dizer dos médicos dermatologistas.

Dermatologistas são formados para o tratamento de doenças da pele, e não para cuidados com a beleza (estética).

Segundo análise curricular que a SBBME fez, durante sua graduação de 6 anos, sequer existe uma única disciplina voltada para estética e na residência/pós-graduação em dermatologia, a disciplina de cosmiatria não é obrigatória e inexistente na maioria dos cursos pesquisados.

Além do mais que toda a carga horária de cosmiatria varia de nenhuma a pouco menos de 420 horas totais, ou seja, 0% ou até 7% da carga horária de toda a residência está voltada à estética. Isso comprova que não há qualquer foco ou ênfase na formação de médicos dermatologistas voltados para cosmiatria.

“Eu não temo o homem que praticou 10.000 chutes uma vez cada, mas temo o homem que praticou o mesmo chute 10.000 vezes.” 

Bruce Lee

Para ser bom em algo, é imprescindível ser focado naquilo que você se propõe a fazer. 

Em outras palavras, o paciente deveria temer aquele profissional que praticou “10.000” procedimentos uma vez de cada, e valorizar muito mais aquele profissional que praticou por inúmeras vezes um grupo restrito e seleto procedimentos por mais de “10.000” vezes, que no caso é o biomédico esteta.

Tais profissionais vivem hoje um dilema entre tratar as mais de 3.000 doenças de pele ou dedicar-se à estética propriamente dita – área sequer reconhecida por seu próprio Conselho profissional. É fato que Conselho Federal de Medicina não reconheceu a “Medicina Estética” como especialidade médica, notícia veiculada no site do Conselho Federal de Medicina – CFM, através do link http://www.portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9634:&catid=3, acessado aos 16/10/2016.

Talvez, pela falta de foco dos dermatologistas “querendo abraçar o mundo com as pernas”, esse seja o real motivo de tantos erros estéticos associados a médicos mal formados.

Esta crise no meio médico foi inclusive objeto de diversas matérias jornalísticas, a exemplo de artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo pela repórter Mariana Lenharo, em 23/12/2012[1]:

[1]  Acesso em http://www.estadao.com.br/noticias/geral,dermatologia-vive-crise-de-identidade-com-a-estetica-imp-,976981, aos 17/10/2016.

0