Peelings Químicos e Mecânicos

A prática do peeling consiste basicamente na remoção de tecido da camada superficial da pele. Ou de forma mais técnica, de acordo com a Resolução CFF nº 573/2013, peelings químicos e mecânicos são procedimentos de estética capaz de promover a renovação celular, de forma progressiva, estimulando a regeneração natural dos tecidos.

Todos os produtos usados são considerados cosméticos, com a produção regulada e fiscalizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em especial por meio da Resolução RDC nº 79, de 28 de agosto de 2000 (D.O.U. 31/08/00), que afirma  em seu anexo I:

DEFINIÇÃO DE COSMÉTICOS E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS Cosméticos, Produtos de Higiene e Perfumes, são preparações constituídas por substâncias naturais ou sintéticas, de uso externo nas diversas partes do corpo humano, pele, sistema capilar, unhas, lábios, órgãos genitais externos, dentes e membranas mucosas da cavidade oral, com o objetivo exclusivo ou principal de limpá-los, perfumá-los, alterar sua aparência e ou corrigir odores corporais e ou protegê-los ou mantê-los em bom estado. A classificação de cosméticos, produtos de higiene, perfumes e outros de natureza e finalidade idênticas está baseada nos artigos 3° e 26° da Lei 6.360/76 e artigos 3°, 49° e 50°, do Decreto 79094/77. Os grupos de produtos estão enquadrados em 4 (quatro) categorias e classificados quanto ao grau de risco a que oferecem, dado a sua finalidade de uso, para fins de análise técnica, quanto do seu pedido de registro, a saber:

 A – CATEGORIAS:

  1. Produto de Higiene
  2. Cosmético
  3. Perfume
  4. Produto de Uso Infantil 

B – GRAU DE RISCO:

Grau 1 – Produtos com risco mínimo

Grau 2 – Produtos com risco potencial.

A título de exemplo, água oxigenada, protetor solar e alisantes de cabelo, amplamente utilizados pela população de forma domiciliar, são considerados Grau II; enquanto esfoliantes mecânicos, de grande uso estético, são considerados de Grau I.

Peelings Químicos

O Peeling químico e enzimático é um método não cirúrgico e não-invasivo utilizado para melhorar a aparência da pele, que consiste na aplicação de uma solução com substâncias ácidas sobre a pele. O objetivo é acelerar o processo de renovação celular à partir das camadas mais profundas da pele ao mesmo tempo em que elimina as camadas mais superficiais, envelhecidas. A pele que nasce por baixo vem totalmente renovada: mais uniforme e com as imperfeições existentes anteriormente atenuadas, ou, em alguns casos, até chegam a desaparecer.

Peelings Mecânicos

É um procedimento de esfoliação não-cirúrgico, não-invasivo, não doloroso e de rápida execução que serve para atuar no rejuvenescimento e melhorar a saúde da sua pele facial e corporal. As vantagens são menor risco de discromias e regeneração tecidual mais rápida. Indicado para homens ou mulheres de todas as idades.

  • Cristal: O Peeling de cristal é também conhecido por microdermoabrasão e trata-se de um peeling mecânico.

Este peeling realiza uma esfoliação através de um equipamento que contém uma ponteira de cristal e esta faz um lixamento mecânico na pele.

O peeling de cristal pode ser superficial ou profundo variando de acordo com a intensidade de lixamento.

A técnica consiste em projetar sobre a pele uma quantidade de microcristais de hidróxido de alumínio sob pressão assistida e, simultaneamente, aspirá-lo junto com as impurezas obtidas da camada córnea, espinhosa e granulosa da pele. A ponteira do peeling é deslizada em diversos sentidos até obter a profundidade desejada. Esta depende de 4 fatores: número de passagens sobre a área tratada, pressão utilizada, velocidade de deslocamento da ponteira (movimentos mais lentos resultam em maior tempo de contato da pele com o cristal e portanto maior abrasão) e gramatura do cristal. O “end point” é a hiperemia homogênea, não ultrapassando, normalmente o limite de sangramento.

Não possui contra indicação, o procedimento é considerado como não-cirúrgico e não-invasivo, podendo voltar imediatamente às atividades do dia-a-dia.

  • Diamante: O procedimento é feito com uma caneta com ponta de lixa diamantada que desliza sobre a pele promovendo uma esfoliação. O principal objetivo é refazer a superfície da pele, reduzindo as rugas finas e diminuindo os poros que estão dilatados.

A abrasão e esfoliação são controladas e estimulam a formação de colágeno – proteína natural da pele – que vem a ser a chave da elasticidade e do tônus facial. É um peeling leve e retira somente uma parte da epiderme. O tratamento age de maneira suave e progressiva, pode ser usado em todos os tipos de pele e tem ação bactericida.

É realizado através de uma pressão negativa associada a uma caneta que contém ponteiras compostas por um banho de micro-grânulos de diamante, tornando-as porosas, que, em contato com a pele, em função do atrito causado, promovem a dermoabrasão.

Na maioria dos casos os peelings de cristal e diamante são utilizados em associação para obtenção de resultados mais eficientes.

0